Comércio adere à Semana Brasil para aquecer vendas

 

A segunda edição da Semana Brasil, evento que acontece de 3 a 13 de setembro, vai reunir todo o comércio e o varejo do País para celebrar a retomada da economia e dos empregos, com segurança para o consumidor. A expectativa é que a ação aqueça as vendas, principalmente em razão da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. A iniciativa é da Secretaria Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações, conta com o apoio da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e está sendo coordenada pelo Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV).

 

 

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o evento também se traduz em uma oportunidade “para demonstrar a representatividade institucional do Sistema Comércio regional aos empresários”. A Confederação está orientando as Federações sobre a possibilidade de mobilizar seus associados para que participem da campanha, engajando-se nesta que é a primeira grande data do varejo neste ano, cadastrando-se no site e realizando a ambientação dos espaços físicos e virtuais com a marca da campanha.

 

A Semana Brasil é alicerçada em três pilares: colaboração, otimismo e oportunidade; sendo a primeira data comemorativa do varejo após a reabertura do comércio. Com ofertas especiais promovidas durante o período do evento, espera-se iniciar uma retomada robusta da economia nacional.

 

Desde o ano passado, a Semana Brasil tem a missão de realçar o mês de setembro como mais um período de promoções que, a exemplo do Natal, pode contribuir para aquecer a economia, movimentando o comércio. Mesmo sendo um mês tradicionalmente de baixo apelo promocional, setembro é considerado um importante termômetro de confiança que antecede o último trimestre de cada ano.