Notícias

Março registra endividamento recorde dos brasileiros e inadimplência deverá aumentar por causa do coronavírus

Após recuo mensal em fevereiro (65,1%), o número de famílias com dívidas voltou a subir em março, chegando a 66,2% – o maior percentual desde o início da realização da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em janeiro de 2010. De acordo com o levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a alta também ocorreu na inadimplência: o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso passou de 24,1%, em fevereiro, para 25,3% em março. Já o total de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes saltou de 9,7% (fev.) para 10,2% (mar.). Os indicadores também registraram aumento no comparativo anual.

Leia mais...

Com corte de 50% na arrecadação, Sesc e Senac vão fechar 265 unidades no País

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) enviou aos governadores de todas as unidades da Federação um documento que mostra que o corte de 50% na arrecadação compulsória em três meses, definida pelo governo federal, vai provocar a demissão de mais de 10 mil trabalhadores em todo o país. Serão 265 unidades do Sesc e Senac fechadas no Brasil, com redução de mais de 36 milhões de atendimentos.

Leia mais...

CNC orienta o setor sobre o novo coronavírus

Apesar das incertezas provocadas pela pandemia do novo coronavírus, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) acredita que o momento exige cautela e pede ao setor que alarmismos sejam evitados. A entidade está atenta aos desdobramentos e aos impactos humanos e materiais do caso, que estão sendo dimensionados, por isso selecionou orientações aos públicos de interesse.

Leia mais...

Carnaval aquece a economia

Carnaval não significa só folia. Além de diversão, a temporada de festa é responsável também por movimentar positivamente a economia. De acordo com o Presidente da Fecomércio Paraíba, Marconi Medeiros, “a tendência hoje no Estado da Paraíba é que o comércio tenha um crescimento de vendas entre 4,5% e 5% em relação ao mesmo período do ano passado. Os setores de destaque nesse período, como sempre, serão as lojas que vendem materiais e vestimentas para o carnaval, aumentando também as vendas nas lojas de calçados e tecidos, principalmente para fantasias”, destacou.

Leia mais...