Serviços caem em setembro

Dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgados nesta semana pelo IBGE, mostram que o volume de receitas do setor de serviços caiu 0,3% em setembro na comparação com agosto e em relação a setembro de 2015, a retração foi de 4,9%.

Esse é o segundo mês consecutivo de recuo e configura o pior resultado para um mês de setembro desde o início da pesquisa em 2012. O setor de serviços acumula, desde janeiro, queda de 4,7% e em 12 meses a baixa foi de 5%.

A evolução positiva da confiança e o fechamento menos intenso de vagas no mercado de trabalho, inclusive nas atividades de serviços, se contrapõem à resistência da inflação no setor às taxas de juros ainda elevadas. Por isso, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mantém a previsão anterior de redução de 4,0% no volume de receita ao final de 2016, o que deverá fazer o setor ter seu pior desempenho em termos de volume de vendas desde o início da PMS.

Em setembro, o resultado negativo foi puxado por Outros serviços com queda de 2,5%; por Serviços prestados às famílias, com retração de 0,9%, e Serviços de informação e comunicação, com baixa de 0,6%. Entre as atividades que registraram variações positivas, destaque para os serviços de tecnologia da informação (+3,9%), que desde abril têm resultados positivos. Outros segmentos com variações positivas são os segmentos administrativos e complementares (+0,7%) e de transportes e os serviços auxiliares dos transportes e correio (+0,3%).

Fonte: CNC