Presidente da Fecomércio estima número de perda no comércio paraibano durante a pandemia

 

Com o início do processo de isolamento social, ainda no mês de março, diante da pandemia do novo coronavirus, as pessoas e empresas tiveram que se adaptar ao então estado de vida intitulado por especialistas de “novo normal”. Um novo que assustava, pois não se sabia o que podia esperar e qual rumo seria vivido pelo país. Mesmo diante de longos dias de tomadas de decisões, a sociedade ainda não tem um vento que lhe guie para alguma certeza e se estampou um cenário de dificuldades humanas, financeiras, sociais e de tantos outros fatores.

 

Desde então, o cuidado com a saúde, em todos os aspectos, é o fator chave para que a sociedade ultrapasse esta fase e aconteça uma retomada das atividades de forma segura, até que uma vacina esteja disponível. Lembrando também da saúde das empresas, ao final de março, no auge do distanciamento, o comércio nacional chegou a registrar perda semanal de R$ 23,12 bilhões segundo a Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Em um recorte para o Estado, segundo o presidente da Fecomércio Paraíba, Marconi Medeiros, “o setor do comércio de bens, serviços e turismo na Paraíba acumulou uma perda de aproximadamente 7,35 bilhões no último trimestre, em virtude do fechamento das lojas, empresas de serviços e de turismo (hotéis, bares e restaurantes). Embora os empresários estejam investindo em novas possibilidade para reestabelecer o faturamento, como o e-commerce e o delivery, a nossa preocupação agora é a retomada destas atividades (sobretudo o turismo), tanto em curto como em médio prazo, para que haja uma reativação efetiva dos estabelecimentos. Estamos preocupados com a saúde dos funcionários, clientes e de toda a sociedade, e também com a saúde das empresas do setor terciário, que são grandes geradores de emprego e renda. Por isso, o empresariado está pronto para esta reabertura, seguindo todas as diretrizes sanitárias e de segurança estabelecidas pelas autoridades competentes. Temos certeza que os empresários do terceiro setor da economia estão prontos e confiantes de que, com criatividade, planejamento e muito trabalho, iremos alavancar a economia da Paraíba.”